Estados Unidos começam testes de entregas do Correio com caminhões autônomos

O Serviço de entrega dos EUA realizou uma parceria com a TuSimple para testar os caminhões autônomos

O USPS, Serviço Postal dos Estados Unidos, iniciou um teste de entregas de correspondência com caminhões autônomos. Os veículos são da TuSimple, startup de veículos autônomos. Inicialmente, as entregas serão realizadas com um motorista de segurança atrás do volante e um engenheiro como passageiro.

Os caminhões começarão as entregas em Dallas e Phoenix, com o objetivo de medir a possível melhoria em custos e rapidez nas entregas. Phoenix é uma cidade famosa por sua visão positiva quanto aos carros autônomos, sendo o principal local de testes para a Waymo, empresa de carros autônomos do Google.

Os testes serão realizados em cinco viagens (de ida e volta), somando 45 horas. “Realizar esse piloto para a USPS nesse corredor comercial em particular nos dá cases específicos de uso para validar nosso sistema e acelerar nosso desenvolvimento tecnológico e progresso de comercialização”, disse o Dr. Xiaodi Hu, fundador e presidente da TuSimple, no anúncio.

A TuSimple afirma que seus caminhões autônomos são mais seguros porque podem “ver melhor e reagir mais rápido que humanos em dias ensolarados ou chuvosos, noite ou dia”. Criada em 2015, a empresa possui veículos autônomos nível 4 (dos 5 possíveis). Em uma pesquisa da KPMG, os Estados Unidos foi considerado o 4º país mais propenso a receber esse tipo de veículo.

Fonte: www.startse.com

Suécia já iniciou a realização de entregas com caminhões autônomos

Expectativa é de expandir para outras estradas da Suécia e para os Estados Unidos

Caminhões elétricos autônomos desenvolvidos pela sueca Einride e pela empresa de logística DB Schenker começaram a realizar entregas na Suécia nesta terça-feira (15/05). Segundo a Reuters, os veículos realizarão entregas diárias em uma rodovia específica no país.

A expectativa agora é de receber permissão para operar em outras rodovias da Suécia e expandir para outros países. Para Robert Flack, presidente-executivo da companhia, os Estados Unidos será o primeiro mercado a avançar nesse setor.

Testes com caminhões autônomos foram aprovados há um mês na Califórnia. A medida é direcionada para caminhões considerados leves, com peso inferior a 4,5 toneladas. Atualmente, 62 empresas possuem licenças para testes no local – como a Volkswagen, Mercedes, Honda, Toyota, BMW e Tesla. Ainda no mesmo mercado, a Waymo, do Google, também está investindo. Os veículos começaram a fazer entregas em março, em Atlanta, nos Estados Unidos.

No Brasil, no ano passado, a Volvo testou a utilização de carros autônomos para a colheita de cana-de-açúcar. Após os testes, os caminhões serão utilizados em uma mineração norueguesa.

Fonte: www.startse.com

Deputados utilizam MP da “liberdade econômica” para proibir tabelamento de frete

Deputados querem aproveitar a conversão da MP 881/2019 em lei para proibir o tabelamento de frete no Brasil. A MP foi anunciada pelo governo federal para desburocratizar a atividade econômica no país. Já o tabelamento foi instituído pelo governo Michel Temer para atender às exigências das transportadoras que entraram em greve em 2018. Os deputados Pedro Lupion (DEM-PR) e Alexis Fonteyne (Novo-SP) apresentaram emendas à conversão da MP em lei para evitar que essas exigências sejam atendidas de novo.

Para o deputado Pedro Lupion, autor da emenda 239), a lei de Temer feriu a livre concorrência e tem gerado prejuízos para a economia nacional e para caminhoneiros. “Após um ano de vigência da lei, observa-se a ineficiência e prejuízos econômicos decorrentes da instituição de um tabelamento que distanciou da realidade do mercado, gerando prejuízos para os caminhoneiros e para a economia nacional”, ele diz.

Alexis Fonteyne é o autor da segunda emenda, a 259. Na justificativa, ele diz que a Lei do Frete faliu. Prova disso são as ameaças de novas greves gerais pelos caminhoneiros autônomos, que não foram resguardados. “A internalização e verticalização do frete pelas empresas imposta pela lei prejudicou ainda mais o caminhoneiro autônomo”, explica o deputado.

O deputado ainda diz que houve uma “bolha do frete” causada pela intervenção do governo via crédito subsidiado do BNDES. “A solução não é mais intervenção, pelo contrário, é deixar que o mercado volte a seguir o binômio demanda e oferta.”

Fonte: www.conjur.com.br

Somente no 1º trimestre desse ano, 21 startups se tornaram unicórnios na China

Segundo dados do Instituto de pesquisa Hurun, a China já possui mais de 200 unicórnios.

O Instituto de Pesquisa Hurun, publicou nesta terça-feira (7) um estudo sobre unicórnios (startups com pelo menos US$ 1 bilhão em valor de mercado) do primeiro trimestre do ano. De acordo com o relatório, o país asiático teve 21 novos unicórnios no período, praticamente o dobro do mesmo período de 2018.

As duas principais áreas para as startups de sucesso foram inteligência artificial e logística. O estudo destaca a pony.ai, que desenvolve tecnologias para carros autônomos, como um dos destaques do trimestre.

O estudo ainda confere a 70 empresas o status de “unicórnios do futuro”, com previsão de alcançar a valuation de US$ 1 bilhão em até três anos. Vale o destaque para os aportes de outras gigantes de tecnologia, como Tencent, Alibaba e Xiaomi, que impactaram diretamente um terço dos unicórnios potenciais.

O instituto calcula que a China atingiu um total de 202 unicórnios. Entretanto, Hur Un, presidente do Instituto de Pesquisa, tem ressalvas diante do ‘boom’ de startups. “Destes unicórnios, acredito que 20% provavelmente vão sucumbir”, prevê. “A maioria dos outros vão tornar-se públicos com sucesso. Não mais que 10% deles vão ser adquiridos”.

Fonte: www.startse.com

Waymo, empresa de carros do Google e Lyft fecham parceria para disponibilizar carros autônomos no app.

Dez veículos autônomos do Google entrarão no aplicativo da Lyft, em Phoenix (EUA), nos próximos meses

Quando algum veículo da Waymo estiver disponível perto de um passageiro da Lyft, aparecerá a opção para pedir uma corrida pelo carro autônomo. “Esse primeiro passo em nossa parceria irá permitir que apresentemos o Waymo Driver aos usuários da Lyft, possibilitando o que, para muitos, será a primeira corrida em um veículo autônomo”, escreveu John Krafcic, presidente-executivo da Waymo, no anúncio.

Os carros estarão disponíveis inicialmente em Phoenix. A Waymo foi a primeira companhia a cobrar por viagens em carros autônomos. No entanto, a novidade ainda não está disponível para todos, apesar de seu aplicativo ter sido disponibilizado de forma aberta na Play Store recentemente.

Para a Waymo, essa é uma oportunidade de receber feedbacks e escalar sua solução. Já para a Lyft, o benefício pode ser de oferecer viagens de carros autônomos antes de seus concorrentes – inclusive da Uber, que possui a própria empresa dos novos veículos.

Fonte: www.startse.com

Caminhões autônomos, quem lança primeiro? A corrida já começou!

Os EUA e a Europa estão competindo para saber quem será o primeiro a lançar caminhões autônomos nas rodovias, sem motoristas. Há uma grande expectativa para que isso aconteça. Apesar desta competição acirrada, anúncios recentes colocam os EUA na liderança. Um número menor de regulamentações, amplos espaços abertos e inovações domésticas para todas as construções necessárias proporcionam aos Estados Unidos uma clara vantagem.


Em 2017, a Scania forneceu seu caminhão número 100.000 com conectividade ativada, o que permite que seus escritórios realizem diagnósticos remotos e orientem os motoristas a conduzir com mais segurança e com maior eficiência de combustível. Em maio do mesmo ano, a Daimler anunciou o primeiro caminhão autoguiado oficialmente reconhecido no mundo, que deve estar em uso comercial dentro de uma década. Em contraste, os caminhões sem motorista dos EUA já chegaram às estradas e fazendo entregas.

Nos últimos seis meses, caminhões autônomos construídos pela Embark transportam frigoríficos Frigidaire a 650 milhas de um depósito em El Paso, Texas, para um centro de distribuição em Palm Springs, Califórnia. Um caminhão autônomo da Uber fez uma viagem de 180 quilômetros no Colorado para entregar 50 mil latas de cerveja. A Waymo também anunciou que começaria a testar seus caminhões autônomos para entregar carga aos data centers de sua empresa-irmã, o Google, em Atlanta, na Geórgia.

Uma razão pela qual os EUA têm uma vantagem inicial é que as rodovias abertas em grandes áreas são mais convenientes para testar protótipos. Por sua vez, na Europa, a configuração para situações de testes em tempo real é difícil e requer uma série de isenções temporárias de vários governos. A Volvo chegou a fazer demonstração em uma mina na Europa, em parte para evitar toda a burocracia. A multinacional alemã fabricante de automóveis Daimler chegou a anunciar seus caminhões autônomos no estado de Nevada, nos EUA. O primeiro acionamento autônomo de caminhões da Volvo foi testado nos EUA por meio de uma parceria com a Otto, empresa norte-americana de caminhões autônomos que opera no país.

Há também o fato esmagador de tentar obter um retorno positivo sobre o investimento com os caminhões autônomos. O custo para equipar cada caminhão destes pode chegar a US$ 25 mil e é necessário economizar muito em combustível, mão-de-obra e manutenção para justificar o investimento. Grandes empresas de transporte por caminhão e fornecedores de logística em todos os EUA, como a Federal Express e a UPS, têm fortes incentivos para investir em tecnologias por causa das enormes oportunidades para a economia de custos.

Quando se trata de dores de cabeça regulamentares, estas são menores nos EUA, onde a Administração Nacional de Segurança no Trânsito em Auto Estradas já definiu diretrizes para o setor e está em processo de criar regras para as rodovias do país. A Otto acredita que o governo dos EUA exigirá essa tecnologia no futuro e demandará dos fabricantes de caminhões que a integrem em seus veículos.

Fonte: https://blogdocaminhoneiro.com/2019/04/

Preço mínimo do Frete Rodoviário é ajustado pelo Governo em 4,13%

O governo reajustou no último dia 24/04/2019 os valores mínimos do frete rodoviário, incorporando uma alta de 10,69% do óleo diesel. As novas tabelas já estão disponíveis no Diário Oficial através do endereço: http://www.in.gov.br/web/dou/-/resolução-nº-5.842-de-23-de-abril-de-2019-84797092

Para transporte de carga geral em percursos de até 100 km, por exemplo, o valor por eixo passou de R$ 2,10 por km para R$ 2,19, uma alta de 4,29%. Para cargas de granel no mesmo tamanho de percurso o preço passou de R$ 2,05 para R$ 2,14, aumento de 4,39%. Já para uma carga geral com percurso entre 2.901 km e 3.000 km, o preço passou de R$ 0,88 para R$ 0,95 por quilômetro por eixo, aumento de 7,9%.

Após reunião entre o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, e líderes do movimento de caminhoneiros foram firmados 4 compromissos pelo governo:

  • Multas – estudar a eliminação de multas desnecessárias aos caminhoneiros;
  • Diesel – transferência do custo do diesel para a tabela do frete;
  • Fiscalização – fiscalização efetiva quanto ao cumprimento da tabela do frete.
  • Caminhoneiros fiscalizam – assinatura de 1 termo de compromisso com as entidades representantes da categoria para tornar mais efetiva a fiscalização.

Fonte: www.poder360com.br/economia